Ponto de Cultura Art.22

O Ponto de Cultura é a ação prioritária do Programa Cultura Viva e articula todas as demais ações do Programa Cultura Viva. Iniciativas desenvolvidas pela sociedade civil, que firmaram convênio com o Ministério da Cultura (MinC), por meio de seleção por editais públicos, tornam-se Pontos de Cultura e ficam responsáveis por articular e impulsionar as ações que já existem nas comunidades. Atualmente, existem mais de 650 Pontos de Cultura espalhados pelo país e, diante do desenvolvimento do Programa, o MinC decidiu criar mecanismos de articulação entre os diversos Pontos, as Redes de Pontos de Cultura e os Pontões de Cultura.

O Ponto de Cultura não tem um modelo único, nem de instalações físicas, nem de programação ou atividade. Um aspecto comum a todos é a transversalidade da cultura e a gestão compartilhada entre poder público e a comunidade.

O Ponto de Cultura Art.22 foi selecionado pelo edital de 2008 de Pontos de Cultura de Minas Gerais e prevê ações no município de Santa Luzia / MG.

O Projeto dará continuidade às ações culturais realizadas pela Associação Art.22 na cidade de Santa Luzia- MG:

Ação 01 - CASA DE PRODUÇÃO ART.22

Prestará auxílio na produção de artistas e grupos locais e disponibilizará o estúdio audiovisual (Laboratório Digital) e o espaço para encontros, oficinas e atividades de pessoas e grupos artísticos / culturais da cidade de Santa Luzia - MG. Também dará seguimento ao periódico literário "Cabeça de Papel", produzindo tiragem de 1.000 exemplares por edição (totalizando 20.000 unidades, ou 20 edições nos 03 anos de convênio). Nesse periódico serão veiculadas poesias, contos, ensaios, charges, funcionando, ainda, como veículo de divulgação das ações do Ponto de Cultura. A cada publicação será realizado um sarau aberto de poesia, buscando valorizar o movimento poético de Santa Luzia e a produção literária local e a formação de novos leitores.

A Casa de Produção Art.22 abrigará, também, a biblioteca comunitária Art.22, equipamento que atenderá ao público das oficinas e comunidade em geral, propondo atividades de incentivo à leitura, como, por exemplo, contações de histórias. A Casa será, ainda, o centro de gerenciamento das ações do Ponto de Cultura, que acontecerão também em outros espaços da cidade de Santa Luzia.


AÇÃO 02 – ARTENATIVAS

Esta Ação trabalhará com a formação artística. No primeiro ano (01) serão implantadas 04 oficinas artísticas – totalmente gratuitas, sendo: Circo-Teatro, Música e Audiovisual. (Cada oficina terá carga horária de 120 horas/aulas, divididas em 03 módulos) e Oficina de Arte Digital (Carga horária de 36 horas/aulas, divididas em 03 módulos).

O trabalho nas oficinas será orientado com foco na cidade histórica de Santa Luzia e nas suas tradições remanescentes, como também seus contornos urbanos e industriais recentes, espalhados em bairros, vilas e favelas que margeiam a região. Os participantes das oficinas serão convidados a fazer um levantamento dos bens e dos agentes culturais das regiões da área de abrangência do Projeto, promovendo uma mescla do conteúdo estético e cultural encontrado com os conteúdos especícificos de cada oficina.

Os resultados serão apresentados ao final de cada módulo nos fóruns (Ação 03 - Chacaravana) que acontecerão a cada dois meses em regiões da área de abrangência do Projeto. Os resultados podem ser diversos, dependendo do patrimônio identificado em cada comunidade específica. Por exemplo: uma oficina realizada junto à comunidade de Pinhões pode resultar em um vídeo-documentário sobre o congado na região, em um repertório musical pautado nas suas células rítimicas, etc.

A partir do segundo ano as oficinas de circo-teatro, música e audivisual, implantadas no ano 01, terão continuidade em formatos específicos. As oficinas de continuidade serão, por exemplo: cenotécnica; danças e ritmos brasileiros; roteiro de ficcção e etc. A continuidade terá carga horária de 80 horas/aulas, divididas em 02 módulos.

No segundo e terceiro ano serão implantadas, em outras localidades, novas turmas de música, circo-teatro e audiovisual, que funcionarão no formato já descrito no ano 01.
A oficina de Arte digital será executada na Casa de Produção durante os três anos, devido ser o local do Laboratorio Digital e também pela relação de proximidade com a produção do periódico literário Cabeça de Papel. Essa oficina oferece possibilidades de desenvolvimento de várias ações – exemplo: designer gráficos, criação de blogs, sites, sistemas de registros digitais, comunicação e difusão das ações entre outros coletivos de cultura, desenvolvimento de estratégias de construção colaborativa de conhecimento e cultura pautadas na concepção de cultura livre.

Nessa oficina deverá acontecer, também, a criação de um sítio eletrônico (www.art.22.org.br), que funcionará como divulgação das ações do Ponto de Cultura e também como banco de dados dos bens culturais e agentes da região.


AÇÃO 03 - CHACARAVANA (CAVUCO)

Após vária experiências de implantação de espaços de cultura em diversas regiões do município de Santa Luzia, a Associação compreendeu um dinamismo nômade, ser movente, presente no seu histórico de ações. A iniciativa parte, portanto, deste conceito estético-pedagógico: o dispositivo de ser intinerante... presente nos cortejos de cultura popular e na arte circense, mambembe, que reconta o início de formalização da Associação, quando esta iniciou suas atividades em uma lona de circo abandonada (UNICIRCO)

A Ação CHACARAVANA acontecerá no formato de fóruns que transitarão por pontos já conectados em trabalhos anteriores da Associação Art.22 (Nossa rede). Os fóruns acontecerão em espaços diversos dentro das comunidades, constituindo-se em um instrumento efetivo de intercâmbio e trocas de experiências entre a equipe do Projeto e comunitários, e também entre comunidades das diversas regiões.

Anteriormente à realização dos fóruns acontecerá a identificação dos ativos culturais inscritos em seu trajeto, trabalho realizado pelos alunos das oficinas (Ação 03 Artenativas), que identificarão mestres de cultura popular, grupos artísticos e tradicionais, associações culturais, ativistas da cultura, etc., presentes nas comunidades. Os resultados das oficinas também serão apresentados nos fóruns.

Os fóruns serão realizados junto aos agentes recenseados nas comunidades. Durante dois dias serão realizadas diversas atividades, tais como: mobilizações sociais, debates sobre a cultura popular do bairro, sobre o incentivo (lei) municipal, produção cultural, encontro de movimentos populares, workshops, encontro de mestres/saberes e apresentações artísticas locais.

Nestes fóruns acontecerão, também, reuniões avaliativas das ações do Projeto. Serão realizadas (coletivamente) cartas propositivas acerca do segmento cultural do município. As cartas deverão ser encaminhadas para o poder público competente, e representantes do 2º e 3º setor.

Os fóruns terão como objetivo potencializar a cultura local e promover o diálogo cultural das várias regiões de Santa Luzia (rural, colonial e urbana), tendo como perspectiva a INTENSIFICAÇÃO e a TRANSVERSALIDADE de conhecimentos. Serão realizados 11 fóruns durante os três anos em lugares e bairros diferentes, com a intenção de que esta ação se desdobre na criação de uma Comissão Cultural. A criação dessa comissão será, ainda, outra maneira de garantir a participação das comunidades nos encaminhamentos das ações do Projeto e sua gestão compartilhada.

Locais de realização dos fóruns: São Benedito, Conjunto Palmital, Conjunto Cristina, Asteca, Baronesa, e outras comunidades de áreas rurais, quilombolas e de patrimônio histórico como: Bonanza, Pinhões, Taquaraçu de Baixo, e Ponte Parte Baixa. E, ainda, fóruns gerais do distrito do São Benedito, por este distrito ter maior demanda de ação por parte da Associação.


Modelo de programação do Fórum.



• Apresentação do recenseamento artístico e cultural realizada durante as oficinas.

• Realização de uma feira de comidas típicas e bazar de artesanato local.

• Mobilização artística – cortejos populares (folia mambembe).

• Apresentação de grupos de tradição.

• Encontro de mestres e griôs – dinâmicas e vivências culturais.

• Mostra de arte comunitária – apresentações artísticas comunitárias locais.

• Palestra: Experiência Chácara - Uma Intervenção Cavuca.

• Mini-oficina de danças e ritmos populares – Grupo Alvorada Pé Vermei.

• Mini-oficina de brinquedos e brincadeiras – Grupo Circo Sem Lona.

• Palestra: Didática cavuca - uma arte do ofício.

• Encontro de ações comunitárias - bate papo informal.

• Planejamentos futuros para o Ponto de Cultura – conversa com a comunidade.

• Mini-oficina de gestão cultural.

• Debate: Formas para construir e manter espaços culturais na cidade.

• Intervenções cavucas ou mutirões como conclusão do fórum. Ex: - Revitalização de uma praça, plantio de árvores, manutenção de uma biblioteca precária, reforma de espaços culturais e etc.


AÇÃO 04 - MOSTRA ARTÍSTICO-CULTURAL BENÉ DE LUZIA


A mostra se constituirá em um grande encontro (a cada ano) de todos os fóruns regionais no Centro Histórico de Santa Luzia. A cidade mantém, em seu terrritório, várias conteúdos culturais que permanecem distanciados por muitos fatores. Possui uma grande periferia, onde vive a maior parte da população, que desconhece os valores rurais e coloniais (Centro Histórico) existentes na região, e vice e versa. Este encontro visa dialogar estas diferenças culturais e propor uma rede de intercâmbios entre os agentes da cultura e seus saberes, com a valorização de suas origens, suas particularidades, potencialidades de identidade no âmbito global e local. É de suma importância que a Mostra ocorra no Centro Histórico, pelos efeitos simbólicos que acarreta, para o empoderamento, o pertencimento e o exercício da cidadania. Tem também como objetivo levantar reflexões sobre a política cultural do município e promover a circulação da produção cultural de Santa Luzia.

Acontecerão várias apresentações artísticas (grupos de tradição, artistas e grupos locais), workshops, palestras, debates e exibições de filmes. Além disso, apresentação dos resultados e registros efetuados ao longo do ano e reunião avaliativa das ações do Projeto. As Cartas Propositivas serão apresentadas à população e discutidas junto com ela. Espera-se a participação do Poder Público e de outras entidades que trabalhem nos campos da cultura, educação, meio ambiente e cidadania.

Os eventos aconterão, possivelmente, nos seguintes espaços: Fazenda Boa Esperança, Rua Direita e Solar da Baronesa. Espera-se atingir um público de cerca de 3. 000 pessoas (por mostra) em três dias de evento, total de 9.000 pessoas na ação.


 

Quem sou eu

Minha foto
Associação de Ideias Ambientais e Ações Sócio Culturais Art.22 cnpj: 08.680.474/0001-33

Contato

Rua João de Sá, 551, Conjunto Cristina C - Sta Luzia / MG CEP: 33.110.210

fone: +55 (31) 3636-6724

email: aiaasca.blogspot.com